Hoje é dia...

About Me

Celia
Sou uma pessoa comunicativa, que adora a vida. Amo minha familia. Sou de Fortaleza, mas moro em Estocolmo desde 1989. Adoro cozinhar.
Visualizar meu perfil completo

Search

Carregando...

Seguidores

Mural

Blog Archive

Contador

Meiroca. Tecnologia do Blogger.

online

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

PostHeaderIcon ADOCAO!!!!


Georgia falou-me da Blogagem Coletiva sobre Adocao, e senti vontade de contar minha experiencia aqui no blog.

Depois de 3 anos tentando engravidar e nao conseguir, decidimos adotar uma menina lá do Brasil, de Fortaleza mais precisamente. Passamos 6 meses só preparando a documentacao, traducao pra o portugues de toda documentacao, além das visitas do Centro de Adocao pra verem se tinhamos condicoes de adotarmos uma crianca.
Com tudo pronto, viajamos pra Fortaleza, para passar um mes de ferias e fazer a adocao ao mesmo tempo. Visitamos algumas instituicoes e conseguimos uma menininha. Estava cheia de feridas na barriga, mas com um olhar que nos sensibilizou. Nos a levamos ao medico, recebeu a medicacao e ficou tudo saradinho. Estavamos encantados com nossa filha. Um mes depois, a mae se arrependeu e tivemos que devolver a nossa filha pra mae biologica. Vcs sabem o que isso pode representar pra nós? Foi terrivel.

Partimos a procura de outra crianca. Encontramos um mae bem jovem q nao podia criar a filha que nasceria um mes depois. Ficamos aguardando...e com isso o tempo passando. Chegou o grande dia. Nos a levamos ao hospital e ela ganhou a nossa filha. No dia seguinte, ela já estava conosco. Colocavamos ela na nossa cama,e deitavamos ao seu lado...admirando...agradecendo a Deus e pedindo pra nao se repetir o mesmo de antes com a outra menina. Estavamos com medo de ficarmos felizes demais.

O juiz deu inicio ao processo de adocao. Iamos lá no juizado com frequencia e nada acontecia. Nem sabiam onde e nem como estava o nosso processo. Comecamos a ficar angustiados. Dai uma pessoa me falou pra levar alguma coisa pra o pessoal que trabalhava la, pois assim, podia ir mais rápido. Um dia levei entao um bolo para o cafe da tarde. Pareciam outras pessoas que estavam lá. Depois desse dia, as coisas comecaram a andar. Fiquei pasma em ver como eles "escolhem" o trabalho a ser feito.

Passados alguns dias, o chefe do meu marido exigiu que ele voltasse ao trabalho. 3 meses já tinham se passado. Fui ao juiz pedir pra ele fazer a entrevista com ele, pois ele precisava voltar pra Suecia. Ele me respondeu, que nao podia. Kurt podia viajar, e qdo ele determinasse o dia da entrevista, ele voltaria ao Brasil. Saimos dali, lembro bem esse dia, sentamos num bar e comecei a chorar. No meio do desespero, lembrei de um tio advogado. Fomos lá. Contei tudo. Ele liga pra o juiz e marca uma audiencia no dia seguinte com ele. Lá fomos os tres. Chegando lá e ele nos viu com ele, foi logo dizendo:"é sua sobrinha? ela podia ter dito logo."Vamos fazer a entrevista amanha. Gente, que raiva nos deu em ver como eles trabalham. Se a pessoa tem um padrinho... tudo vai rápido. Fico imaginando esses estrangeiros, que viajam pra adotar uma crianca, que nao sabem a lingua...nao sabem como funciona a coisa...como devem sofrer.

Kurt fez a entrevista. O juiz marcou pra 1 horas da tarde, mas só nos atendeu as 17 horas. Passamos a tarde lá sentados esperando.
Bom, mas depois de todo esse sofrimento, recebemos a documentacao de adocao da nossa princesa.

Viajei pra Suecia com ela, e no aeroporto estava uma grande comitiva. Ela ganhou muitas flores e presentes.

Somos muito agradecidas a Deus por essa filha maravilhosa que ele nos deu. Ela sabe que nao veio da minha barriga e sim do meu coracao.

Foi uma "gestacao" sofrida...mas terminou bem. Hoje ela tem 16 anos. Ela foi uma filha desejada, que saimos a sua procura, e que ficamos muito felizes quando a encontramos.

Infelizmente, por tudo que passamos e vimos, nao tivemos coragem de adotar outra crianca.

Eu acho que as coisas poderiam ser mais fáceis...sem tanta burocracia... sem muito apadrinhamento...que todos tivessem o mesmo direito...que nao se precisasse dar alguma coisa, pra receber outra em troca...que as pessoas trabalhassem por amor tentando salvar uma crianca e dando, ao mesmo tempo, felicidades aos pais, que darao uma vida melhor a uma crianca que precisa.
Sou uma mae feliz...realizada e agradecida a Deus.




5 comentários:

Sonia H. disse...

Célia,
Que história linda!!!! Estou emocionada!
Aquela primeira, amiga era por que não era para ser.
Esta linda menina é sim a filha amada de vocês!
Depois leia a minha história!
Beijos e parabéns por dividir conosco esta história de amor tão linda!

Lucia Cintra Stevenson disse...

Nossa que legal, nao tinha a minima ideia que sua filhinha era adotada. Que sofrimento pra conseguir elazinha!

Pergunta a vc: pq resolveu adotar no Brasil, onde a bureocracia e' imensa pra qq coisa? Bjos

Soninha disse...

Olá Célia!
Em visita aos blogs solidários à blogagem coletiva sobre adoção, visitei o seu e li sua linda história história, sofrida mas, com um final feliz e recheada de alegrias por sua filha amada.
Parabéns!
Muita paz! Beijossssssssss

Aninha Pontes disse...

Célia querida, que linda sua história de vida.
Que felicidade teve a Lívia de encontrar uma mãezinha de coração enorme como o seu.
Os filhos são a nossa vida, e vejo o quanto vc ama sua vida. (Lívia).
Parabéns pelo post.
Linda mesmo

Fábio Mayer disse...

Muta gente diz que blogagem coletiva não tem importância, porque não gera efeitos práticos.

Eu discordo, especialmente com o que representa ESTA blogagem sobre a adoção.

Isso porque, o grande efeito desta blogagem é fazer com que uma pessoa que esteja pensando em adotar, tenha subsídios para decidir pelo sim ou pelo não, em razão do fato de que os muitos post sobre ela, mostram as várias faces da questão.

Agora, infelizmente, a burocracia do Brasil é triste mesmo!